O Popular, A Sacralidade, O Contemporâneo

A presente pesquisa tem como objetivo trabalhar com a dramaturgia brasileira
de modo a pensar em sua constituição formal no decorrer do tempo, forjada na
relação com a teatralidade popular nacional. Serão explorados três vetores de
investigação: o popular, a sacralidade e o contemporâneo. Historicamente, por
mais que a elite intelectual e econômica do país ansiasse, no século XIX até o
começo do XX, em fazer do teatro brasileiro um espelho do requinte europeu, a
prática cênica da exuberância épica, seja a religiosa, seja a profana, nacional,
constantemente sobrepujava os movimentos mais letrados de fazer teatral. Do
sacro ao profano, do folguedo de rua ao palco, a vertente popular de uma
teatralidade que se desenvolveu sem uma oficialidade de forma torna-se uma
matriz das mais potentes do teatro brasileiro, visível tanto no teatro do passado
como na produção contemporânea de diversas regiões do país. Desse modo, o
objetivo do projeto consiste em produzir uma reflexão ampliada sobre a
dramaturgia brasileira por meio desse viés de entendimento: o épico enquanto
forma explodida, fragmentada, das grandes narrativas, e forma expandida da
teatralidade popular. Será selecionado um grupo de peças a serem analisadas
por esse viés. Além disso, o projeto inclui, de modo a auxiliar a pesquisa
teórica, uma série de atividades a serem realizadas no recém-fundado
Laboratório de Dramaturgia do Departamento de Artes Cênicas, da Unicamp. 
O projeto está vinculado ao Laboratório de Dramaturgia do
Departamento de Artes Cênicas da Unicamp e aos grupos de pesquisa: Grupo
de Estudos em Dramaturgia Letra e Ato e Grupo Pindorama.
Essa pesquisa sobre a dramaturgia brasileira, tem como eixo três vetores que
se interligam: o popular, a sacralidade e o contemporâneo, cada um deles
respectivamente capitaneado pelas pesquisadoras Profa. Dra. Larissa de
Oliveira Neves, Profa. Dra. Grácia Navarro e Profa. Dra. Isa Kopelman.
Larissa de Oliveira Neves, investiga na história da dramaturgia brasileira,
peças que tenham vínculo próximo com manifestações da cultura popular, tais
como: festas, folguedos, músicas, entre outros. Os textos a serem analisados
podem ser do século XIX, até o final do século XX. Grácia Navarro associa-se
à pesquisa investigando as dramaturgias ligadas à sacralidade popular
brasileira, o que envolve, além de todo um referencial histórico e
contemporâneo, o modo como a dramaturgia da cena é composta muitas vezes

em comunhão com uma corporeidade específica vivenciada pelos atores,
sendo essa prática relacionada a manifestações artísticas performáticas
populares. Isa Kopelman, dramaturga, associa-se no vetor sobre a dramaturgia
contemporânea, que visa a refletir sobre algumas produções atuais, como
constituintes de um caminhar histórico. Os dois eixos transbordam no objetivo
de refletir sobre um aspecto específico do teatro brasileiro: o popular. O
conjunto desses três vetores visa gerar uma reflexão intensa sobre uma forma
brasileira de se fazer teatro.