Mestre Jaça

Jacinto Rodrigues é funcionário da UNICAMP, desde 1972, quando entrou como patrulheiro mirim e posteriormente passou a operador de máquinas no Restaurante Universitário. Em 1999 Jacinto vai para o Departamento de Artes Cênicas, onde atuou até junho de 2013, como funcionário artista. No Departamento de Artes Cênicas, Jacinto Rodrigues da Silva, Mestre Jahça, como é conhecido na UNICAMP, tornou-se referência para a prática da Capoeira na universidade. Oferecendo cursos de extensão “Aula Livre de Capoeira”, reuniu em suas práticas alunos e funcionários de várias unidades da graduação da Unicamp criando, assim, um espaço de interação, experiência e difusão da cultura afro brasileira. Foi membro do Grupo Urucungos, Puítas e Quijengues - grupo permanente de teatro e danças populares, criado em 1988, pela professora e artista Raquel Trindade. O repertório do grupo é composto por Cocos, Sambas, Boi Bumbá, Jongo e Maracatú, entre outras. Mestre Jahça participa do Festival Comunitário Negro Zumbi – movimento criado em 1978, que propõe a conscientização política através da Arte e da Cultura. Ainda na década de 80, fundou na região dos DICs – Distrito Industrial de Campinas, o Grupo Cultural Semente de Esperança, o qual tinha a Capoeira e as Danças Populares Brasileiras como linguagem e dedicava-se a oferecer práticas de finais de semana, comprometidas com a recuperação da auto-estima de jovens da região. Em 2003 Mestre Jahça e o grupo Semente de Esperança participaram do Programa Comunidades Quilombolas – PREAC/UNICAMP, atuando na área de fortalecimento da cultura e da cidadania quilombola, oferecendo apoio à formação de grupos de Capoeira e aperfeiçoamento de Capoeiristas. Junto a Graduação em Artes Cênicas, desde 2000, Jacinto participa da disciplina Luta I e II, apresentando a Capoeira e suas danças associadas: Maculelê, puxada de rede e samba de roda. Realiza, também, assessoria a projetos cênicos - quando estes requerem alguma prática referente a cultura afro brasileira, como acaba de ocorrer com o Projeto Integrado de Criação Cênica, que produziu a peça “O Cortiço” - romance homônimo de Aluísio de Azevedo, para a qual treinou os alunos/atores em Capoeira. Jacinto participou da preparação do premiado espetáculo “Primus”, realizado pela Boa Cia e dirigido por Verônica Fabrini. Ainda no Curso de Artes Cênicas participou – como ator, da peça “Cassandra”, de Christi Wolf, dirigido por João das Neves. Atualmente Jacinto participa do Grupo de Estudos PINDORAMA – CNPq, dedicado a criação de discursos cênicos desdobrados de pesquisa em danças e teatralidades na oralidade popular brasileira.

Currículo Lattes