Passeio cantante para Pedro 2022

Largo do Carmo, Campinas, São Paulo, Brasil, em 29 de junho de 2022

 

Aconteceu! Nossa Senhora do Carmo, bem acompanhada de serafins, cabeçudas imbatíveis, mascarados, noiva, onça, santinhas, santinhos, cantores, zabumbeiros, sanfoneiro, flautista, pandeirista...   levando fogo, pote, cheiros, águas, tipitis luminosos e o mastro para as artes, pisou o largo da matriz velha, atrepou a escadinha, entrelaçou bandeirinhas de seda e deu um baile. Colorindo o Carmo deu um rastro atrás no tempo, nos levando para algum lugar de antes e de sempre, das noites iguais a esta:  "... foi numa noite igual a esta que tu me deste teu coração, o céu estava assim em festa pois era noite de São João... e no terreiro o seu olhar que incendiou meu coração...". Contudo lá não havia festa e quase não havia olhares... foi o Largo do Carmo mais vazio que vimos desde 2016, quando começamos a fazer esse Passeio Cantante para Pedro. Por conta do isolamento social imposto pela Covid-19, em 2020 não estivemos no Largo e em 2021 fizemos uma Passeio Cantante virtual, com imagens gravadas no Largo, ao retornar agora, na noite de 29 de junho de 2022, o Largo estava completamente esvaziado de pessoas... e essa Dramaturgia para Largos, Becos e Praças, se fez tendo como dinâmica transversal, mover o silêncio... e então com a memória dos Passeios Cantantes anteriores e carregados da geografia que enche de passado o Largo do presente, reunimos os tempos e repisamos o marco zero da cidade, interagindo corpo a corpo com o tenso e denso vazio silencioso, que encobria o território onde foi feita a missa de fundação da cidade de Campinas, em  14 de julho de 1774, a então Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso.

Que a arte esteja entre nós!  Para esse propósito reunimos números artísticos na Quermesse de Teatro de Promessas, atualizando a tradição junina, friccionando o território histórico com teatro, fazendo uma cena que emerge na malha da cidade, tendo o espaço e as pessoas que lá estiveram, como co-criadoras do Passeio. Do baile das encantarias, fizemos o cortejo e levamos o fogo que anda e o mastro para as artes, evocando, pelos santinhos no mastro pregados, Arthur Bispo do Rosário, Benjamin de Oliveira, Jaider Esbell, Ruth de Souza, Nelson Sargento e Marilia Mendonça, para atravessarem conosco a Praça Bento Quirino, em direção ao túmulo monumento de Carlos Gomes, para fazermos o tradicional retrato com o maestro, celebrando essa noite memorável! Depois de ouvir a história de vida do maestro e nos encantar com modinha Quem Sabe?,  retornamos à matriz velha, deixando as bandeirinhas, de seda colorida, como vestígio e anunciação de uma noite igual a essa. Ano que vem tem mais!