Resumo: O curta conta a história de Mãe Dango, sacerdotisa do Candomblé Angola. Sua trajetória é marcada pela ancestralidade herdada de seu pai, que lhe passou os ensinamentos da cultura bantu, e atravessada por episódios de superação e conquistas diante do racismo violento do país. A Casa do Arco-Íris, que ela define como um quilombo,  abriga todos os seus filhos e é onde se cultuam os inquices. Ali se constrói mais um capítulo da história da resistência negra no Brasil.